terça-feira, março 18, 2008

Conto de Bemdoror

O homem que vendia balões-de-sobrar-para-dentro definhava.
Morria à fome.
Continuava, porém, numa teimosia pueril, como que num mudo grito contra tudo e todos, empunhando, no cruzamento da Capitão Leitão com a das Forças Armadas, os seus balões-de-soprar-para-dentro.
Mas ninguém os comprava.
Já há muito que desistiram de suspirar.