segunda-feira, dezembro 15, 2008

Cinematografilologia

Blood Simple (1984), Crimewave (1985, Raising Arizona (1987), Miller's Crossing (1990), Barton Fink (1991), The Hudsucker Proxy (1994), Fargo (1996), The Big Lebowski (1998), O Brother, Where Art Thou? (2000), The Man Who Wasn't There (2001), Intolerable Cruelty (2003), The Ladykillers (2004), Paris, je t'aime (2006), No Country for Old Men (2007) e, finalmente, Burn After Reading (2008).

Ou seja, de uma forma alternada, embora nada rígida, uma comédia e um drama, em 24 anos.

Um pouco como o Lynch e os seus filmes normais (The Elephant Man e The Straight Story), alternados com filmes à Lynch (Mulholand Drive e Lost Highway).

Agora, depois do Óskar, atribuído a um drama, a malta despertou para os Cohen. Ainda bem. Nunca é tarde. Mas há as comédias. E eu pensei, sinceramente, que seria impossível fazer melhor que no The Big Lebowski ou Raising Arizona.

É possível.

E a cara da Frances no parque, a olhar para todos os homens, a cara do Brad Pitt antes de levar o tiro, a cara do Clooney ao mostrar a sua “invenção” na cave, ou um Malcovitch, de martelo na mão, roupão e boxers, a caminhar, de perninhas tortas, pelo cais, valem UM QUARTO DE SÉCULO de cinema.

Mas isso sou eu, que até de César Monteiro gosto.

O que me concede conhecimento de causa para poder parafrazeá-lo:

Quero é que os críticos se fodam!!!

9 comentários:

Zorze disse...

E a cara do Clooney a dizer à amante que a amava?! Topo! Gostei tb muito, mesmo mt deste filme!!! O Straight Story, pouco conhecido do Lynch é mesmo muita bom!!!

1entre1000's disse...

perante este post e face antes de tudo mais ao meu choque de ler "fodam", sr. das letras um ultrajeeee neste país do politicamente correcto escrever "fodam" pode captar a esta pagina da mais variadissima fauna... mas quem sou eu para questionar o seu "fodam" - ninguém, absolutamente ninguém! (Escrever "fodam" sabe bem e eu arranjei aqui uma boa duma desculpa esfarrapada para me aliviar)
Agora o comentário quie me trouxe à sala - portantuuusssssssss não será demais dizer que os cohen iniciaram-se nada mais nada menos do que na publicidade! PIM e para os publicitários não há nada nada nada ? TUDO!!!!! - PAM - sim tb necessito de puxar a asa pra minha sardinha de quando em vez - PUM!

rosa disse...

acho que tens ar de "dude".

engano-me?

Anónimo disse...

Diaz, maneiras pá, tens maneiras!!!! O puto G. uma dia lê esta porra e será o que será!!!!
Ainda não vi o movie!!! ;-)
Freaky

Master Of The Wind disse...

Ainda tinha algumas reservas em te pedir comentários sobre cinema. Lia jornais, via as entrevistas do Mário Augusto, lia a "Prémiere" (mas até essa já fechou)... faltava-me algo... e esse algo és tu. Obrigado.
Diz-me qual é o próximo filme que posso ir ver, ou que perdi e devia ver?

El Mariachi disse...

Master: Laranja Mecânica
Miles: Não fui eu, foi o João César Monteiro. E sim, publicitários. Já o Delicatessen estava no seguimento disso, ao contrário do Amélie e do Alien IV, ou lá o que foi a perdição dos Jeunet & Caro...
Rosa: Eu e o Dude somos UM SÓ. Muito embora, e infelizmente, nunca tenha apanhado uma Julitte Lewis a pintar suspensa, nua, e a tratar-me o "coisinho" por Johnnson! No entanto, e felizmente, nunca me mijaram no tapete nem me mandaram um furão prá banheira, perguntando "Where is the money, Lebowsky???"
Freaky: O G. está no Ponto. Tens de o ver!

Master Of The Wind disse...

Se a Freaky tiver a mesma sorte que eu para o conseguir ver, será no dia de São Nunca à tardinha. Pois eu já tenho marcação à algum tempo.

Master Of The Wind disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rosa disse...

é isso e o outro a dançar enquanto prepara um bidon de gasolina pra lhe prespegar fogo e cortar-lhe as orelhas.

stuck in the middle with you.

um dude do catano!

yá?