domingo, outubro 12, 2008

Benvindas Boas Novas

Diz o Blitz que, nos E.U.A., um qualquer adolescente foi encostar a barriga à barra do tribunal por ouvir música demasiado alta. Parece idiótico. Só que estamos a falar daquele país. E é de referir que o miúdo ouvia, muito particularmente, hip hop e, mais particularmente ainda, dentro do carro.

Nestes casos, sou peremptório: Quando passa por mim um zé tunning a ouvir música, interiorizo a noção de que, enfim, custe o que custar, acabará por passar. E, logo, deixarei de o ouvir. Ele, pelo contrário, dificilmente se tornará um tipo inteligente, o que o atesta o facto de ser zé tunning. Ouvir hip hop atesta apenas que é acéfalo e, logo, não pode sequer ter um quociente de qualquer coisa, quanto mais de inteligência.

Pois bem... parece que o puto foi condenado a ouvir Beethoven durante vinte horas e aguentou....................... 20 minutos! Ou seja, não sou preconceituoso! É mesmo verdade, ouvir hip hop é ter, mais coisa menos coisa, a mesma sensibilidade musical de um escaravelho da batata!

Mas a punchline dá-se quando o primeiro comentário a esta notícia provém de um ser, por certo espongiforme, que escreve, no espaço destinado aos comentários à notícia, Nós, os gangsters, aturamos tudo, apesar da repressão policial blá blá blá fon fon fon cuóc cuóóóóóc e tal.

Ser gangster português, para quem não sabe, é ser muita bera e mau, mas apenas porque se tem uma arma ou se conhece alguém que a tem. Das de fogo.

E eu, quando era mais novo, em idade de ser gangster, portanto, nunca me gabaria se, por forma a provar a minha masculinidade, me visse forçado a usar um dildo, incapaz de cumprir os meus objectivos da maneira mais convencional.

E se não perceberam a piadola... mais Beethoven e menos 50 Cent. Ou ailerons!!!

4 comentários:

Anónimo disse...

E aos 26 anos começou a ficar surdo... Quem o gajo do tunning?...

Freaky

Anónimo disse...

há hip hop e há hip hop...

Tóne

dIAZ disse...

Obviamente!!!
No dia em que o autor se vir obrigado, de cada vez que escreve, a referir que PARA TUDO HÁ EXCEPÇÕES, o problema é de quem lê!

K disse...

Mas pois, realmente, sendo tu supostamente essa sapiência musical que gostas de demonstrar fica-te mal reduzires o hiphop ao mainstream acéfalo...sabes, revela falta de conhecimento....ah pois é bebé! ;p

(e o problema não é só de quem lê...eu era bem capaz de escrever o mesmo só que me referindo especificamente ao hiphop-blingbling-yo-bitches-não-temos-nada-dentro-dos-cornos-e-já-levei-um-tiro)