quarta-feira, junho 18, 2008

Da Qualidade de Vida

Qual pequeno relógio biológico, de perninhas curtas, barriguita saliente e rabo espetado, Mariachito sabe quando é Sábado. Felizmente, ainda não fui às Preferences fazer a actualização para os feriados portugueses, ficando assim aquele gerador de energia, amicíssimo do Ambiente, user friendly e de penteado igual ao do pai, ignorante em relação ao Dia de Santo António, deixando-me purgar os excessos de véspera sob a forma de uma enorme mancha na almofada.
"Ó pai ó pai ó pai, bola-rua, pâxinho, biquiqueta-pai" são as suas primeiras palavras TODOS os Sabats, segurado às grades da cama e, geralmente, com o cabelo tipo Morangos com Açúcar mas apenas engraçado e não ridículo. Uma espécie de leque de opções que deixa à minha escolha. Opto pelo "pâxinho, biquiqueta-pai", que quer dizer "Vamos de bicicleta à praça da Charneca comprar o peixe para o almoço". Fomos. Ele, sentado na sua cadeirinha, de capacete iguáli ó du pai, é a minha espécie de auto-rádio sintonizado na TSF. Não se cala e descreve-me todas as cores dos carros que passam, se é um pópó gandi (autocarros), pinóni du popó (reboques), pinóni du dóidói (ambulâncias) ou tantos outros que ele aprende em sete dias, não sei onde, isto é, aos dois anos freshly made, já tenho que estar alerta com as companhias.
A Ti Odete, caparicana do tempo em que a Costa se chamava Terra de Pescado, era dividida pela rua dos Pescadores que separava (simpatias, também) a malta de Ílhavo (Norte) e do Algarve (Sul), recomendada para males de reumático e acessível apenas por uma carreira de manhã, com saída da Trafaria, ou pelos burricos a partir de Cacilhas, ouve-o chamá-la e prepara, logo, um gordo chicharro. Nunca me leva dinheiro por ele. E enquanto o filho (dela) esvazia o meu avio das suas entranhas (as dos peixes), leva Mariachito ao colo e ensina-lhe os nomes dos exemplares na banca. Isto causa-me problemas porque, em vilas piscatórias, jaquinzinho é pelim e petinga é choquilha. Se, mais tarde, os Lisboetas que costumam ir jantar a minha casa perguntarem: "Atão, dIAZINHO, o que é que estás a comer?" e ele responder algo como plim, acham que o miúdo é atrasado mental. Não! Vive é junto ao Mar.
E por falar nele (no Mar), segue-se, obviamente, a ida à praia. De bicicleta, claro, que eu não ando a pagar a Contribuição Autárquica, que paga a manutenção da QUALIDADE do areal, para depois não ter acesso a um lugar no parque porque há quem fale do Pesadelo da Ponte e seja o primeiro a entupi-la ao fim-de-semana.
Não consigo deixar de me rir (no mínimo, sorrir), a ver uma coisinha a correr, de sunga com ibiscus, de balde na mão. O balde não é para nada que seria de esperar de um balde. É, apenas, para andar na mão enquanto corre, corre, corre. O orgulho de pai é um lugar estranho. Passo uma vez o pé pelo limite da maré e vejo aparecer 3 cadelinhas (conquilhas, no Algarve). Decido enveredar pelo trabalho infantil e meto o meu pequeno escravo a depositá-las no seu balde. Ao jantar do dia seguinte há, então, arroz de bivalves a acompanhar o pampo, esse nobre exemplar tão desconhecido de quem acha que, ao comer salmão, douradas e robalos de viveiro, está a comer peixe.
Mariachito, esse, janta na praia, porque de pequenino se torce o pepino que é o feeling margem-sul, os paizinhos uma caracolada no Central, a mãezinha descobre, pelo à-vontade com que o puto segura o cacóli e o puxa para fora da casca com os dentes, que esta não é a primeira vez que se senta à mesa do café com o mesmo propósito. Acho que não devia. Mas isto é coisa de homens e coisas de homens não estão sujeitas a regras tão rígidas.
Como quando lhe canto o Eu Tenho Um Melro, da Deolinda, em vez do Olha a Bola Manel ou O Pretinho Barnabé.
E, aos dois anos, Mariachito já sabe que um melro é um passarinho que não faz a barba, não faz a cama, descuida o ninho, mas canta o Fado como ninguém...

8 comentários:

Espalha Brasas disse...

Bom, muito bom.
Olha que para eu dizer isto assim, à mão cheia, é porque está mesmo bom, hein?

Glup disse...

Brilhante

Kaui disse...

Agora só falta teres a menina para levá-la ao... Almada Forum. Hi, hi, hi. Agora, falando sério: AMEI! Ainda há bocado estava eu a explicar ao Gui o que a mamã pássaro estava a fazer ao filhote e o meu cagou bem de alto para mim. É que há coisas bem mais importantes na vida de um miúdo (neste caso fazer com que o shreck e o burro consigam descobrir a merda da chave da porta para ele passar de nível, no game boy...)

1entre1000's disse...

end of the post e dou por mim a puxar o scroll para cima para ler outra vez... queixo sobre a mão, sorriso terno... imagens do meu filhote (tb de 2 anos) a passar em loop na cabeça... peito aberto, inspirar e expirar pousado... só porque gosto de passar os olhos por coisas bonitas! só por isso, que é MUITO!

Zorze disse...

Kauiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii iii i i i i iiiiii iii ii i i i ii ii iiiiii i i ii iii i i ii i i ii i i iiiiii iii ii iii ii i iiii ii i, gosto mais de ti do que santola em “croquignole” de erva doce! ******************

Kaui disse...

Zorzezzzzz zaudadezzzzzzzz!!!

1entre1000's disse...

ja o li demasiadas vezes, ok?!?!?!?!?! as palavras até ja começam a desbotar... Next!

Anónimo disse...

Tu cantas e ele acompanha. Vi de perto! Mas fixe é estares refastelado numa espregiçadeira a dormir à sombra de uma palmeira e de repente ouve "paiiiii". E então alguém te diz; " Olha ò Dias, já não dormes mais..." Quase tão duro como agarrar a Joana pelo rabo... ou não.