terça-feira, janeiro 15, 2008

Retrato Sentido de uma Lisboa MESMO

Não que eu já não estivesse, há muitos anos, à espera.
Uma arroba deles, que para razoável entendedor bastará.
A Adega dos Canários é a Galiza em Lisboa.
Ou Valença do Minho em Lisboa, que para mediano entendedor mais que sobeja.
O Sr. João há muito que se arrastava, a custo, alheta de bacalhau práqui, taça de tinto práli, entre um velho balcão e duas pipas de 100 litros encimadas por presuntos, paiolas, buchos, garrafas de azeite, ginja e garrafões de 2 litros (?) encestados.
Ainda assim, foi com surpresa que me deparei, no outro dia, em galhofeira excursão, com uma cruz impressa num A5 em ambas as portas, porque a Adega dos Canários fica de esquina, duas ruas de que não sei o nome.
Putas velhas práqui, putas gordas práli, que para aceitável entendedor bastará para perceber que se está no Cais do Sodré.
Queixada de porco práqui, copo de três práli, duvidei que a ceifeira tivesse levado o outro senhor, que não o Sr. João, bem mais aguerrido no atendimento.
Bifana em frigideira de dez anos sem ver esfregão práqui, mini práli, há muito tempo que aqui como de tudo e bebo demais, sempre a babar para a generosa, diversificada e profundamente tradicional (logo, saborosa) oferta exposta naquela vitrina.
É uma faneca frita com os dentinhos de fora, serrilha de algas ofertada pela mãe natura? Chicharro práqui, tacinha de branco práli, venha ela...
Orelha fumada cozida sem sal? Focinho de bácoro práqui, traçadinho práli, é um pirezinho ó fáxavôr!
Pezinhos de coentrada? Taça de mistura práqui, tripa enfarinhada práli, vai à mão qu’é à maltês!
Entretanto, fui assistindo aos fragmentos de vida que por estes sítios passam.
Patas de galinha práqui, submarino práli, houve um dia em que alguém pediu, ao meu lado, uma sopa (de feijão, todos os dias, a melhor da cidade), um copo três de tinto e um papo-seco (bravo, povo meu que sabe que carcaça é, tão só e apenas, um animal morto, quanto mais “bolinhas” e “chapatas”, que só dEUS e outros gourmands armados ao pingarelho saberão o que são). Sandes de lula práqui, média práli, o homem despeja, no caldo, meio copo de tinto, mexe, fende o pão pela racha e segura a metade com a mão esquerda, a colher com a mão direita. Molha o pão na sopa, morde, colherada, gole, pão na sopa, dentada, colherada, gole, até que já soa a colher no inox, no exacto momento em que tudo o resta também chega ao fim. A exactidão do processo que é bem comer, um acto de culto que se torna, temo que irremediavelmente, numa espécie de satisfação de uma necessidade fisiológica primária, que até medíocre entendedor saberá querer isto dizer que mijar, cagar, comer e, para muitos foder é, hoje, tudo a mesma coisa, está à mão de perceber!
Posta de bacalhau frita práqui, bagacinho práli, foi de júbilo que sorri, ontem, vendo os mesmos dois cirandando lá dentro, os de sempre, Sr. João e o Outro.
Pastelinho de bacalhau práqui, penalty tinto práli, como está Sr. João, o que se passou, Nada, amigo, quer dizer, foi a minha mulher, mas foi melhor assim, coitadita, que já sofria.
A Adega dos Canários sobreviveu. Ao tempo, às modas e, por enquanto, à ASAE.
Essa, por mim, morra!
Morra depressa!
Morra PIM!
Antes que nos matem, minha gente!

10 comentários:

Anónimo disse...

Concordo contigo Diaz...agora se vires um cabelo no prato na bica do sapato...não venhas pedir o livro de reclamações...e não é por ser + caro...

gostaspoucogostas disse...

É pá puto, outra vez textos com 3000 caracteres, eu n tenho um portátil para ir ler textos para a sanita. Vamos lá aos textos curtinhos de novo. Vá lá tu consegues.... Força.

Mari Liess disse...

Gostei do blog!
Bom o post sobre as zucas!
:o)

Mariachi disse...

Bica do Sapato???

O que é isso?

espalha brasas disse...

Depois de ler estes 3483985 caracteres, ainda não percebi se sou razoável, mediana,aceitável ou medíocre entendedora.

1entre1000's disse...

ora... impõe-se portanto... um comentário de respeito pela esposa do Sr. João! (aqui fica!)

Zorze disse...

Está muito bom, muito bom este texto. "Os gourmands armados ao pingarelho" é do melhor. Também eu, levado pelo saudosismo ou por um sentimento familiar deste, já fiz por ser adoptado pelos donos de um tasco. E sim: comer é uma arte e mais ainda se torna quando é naïf, popular. Agora só nos resta que a ASAE nos foda este prazer dos poucos que temos. "Ah e tal, mas é a higiene que está em causa..."; "Foda-se, puta que pariu as minhoquices das pessoas!"

Mariachi disse...

Não, miúdo... Puta que pariu as pessoas que não conseguem destrinçar entre minhoquices e uma cada vez mais óbvia invasão de privacidade e ausência de Liberdade de Escolha. Liberdade, portanto.
A ASAE não tem nada a ver com zelo pela saúde das pessoas. Vai-se continuar a poder vender salsichas feitas de Merda, toucinho entremeado feito de sebo e hamburgueres feitos de cocó, desde que embalados hermeticamente e por pessoas com luvinhas e batinhas e gorrinhos.
Resta-nos saber se os inspectores da ASAE que fecham estabelecimentos lavam as mãos depois de mijar.

Zorze disse...

Sim, exacto, tens razão!

Mari Liess disse...

Agora não perco mais o link!
Já salvei ;)