terça-feira, dezembro 04, 2007

Nadegueiros, glúteos, rabos e bombons de Natal

Não sou o único gajo que conhece as amigas pelo rabo.
Mas sou dos poucos que o assumem!
No outro dia, por exemplo, vi a Djamila lá ao fundo. Felizmente, lembrei-me a tempo que o rabo das pretas, embora tão diferentes de todos os outros, são muito idênticos entre eles. Decidi não chamar por ela. Fiz mal. Passou para cá e tive de levantar os olhos d'A Ponte Sobre o Drina, mesmo na altura em que decorria o empalamento ordenado pelo Grão Vizir, mais ou menos quando Andric descreve os ossinhos a estalar. Eu Djamila, que surpresa, Ela Bo crê toma café?, Eu Mas claro que sim, à falta da cachupa rica da tua mãe e o compasso de espera entre isso e o momento em que ela nos deixava sozinhos, para ir lavar as escadas do Garcia d'Orta. Não façam confusão! Isto do tuga (e DA tuga) olhar primeiro para um rabo e só depois para o resto é muito luso-tropical. É coisa Afro-Brasileira. Os nórdicos ligam mais às caras (é a única coisa que está à vista com aquele frio), os alemães e ingleses querem é seios. Enormes, fartos, com ovos estrelados no lugar dos auréolos! Claro está que, depois de dois ou três filhos, saem do armário, cansados que estão de não ter tempo para apanhar as mamas, na zona do umbigo, a partir do momento em que desapertam o soutien.
Ontem, foi a Cláudia (nome não-fictício, para que se fique a pensar que é, afinal, fictício embora, na verdade, não o seja). Meu dEUS, a Cláudia. Cu Láudia! A Ode aos músculos nadegueiros. Os glúteos que dEUS idealizou mas que não conseguiu concretizar, até que nasceu a... aaaaaaaahhhhhhh... não me canso de dizer... CU LÁUDIA!
Exorcizei, em 30 segundos, os meus fantasmas de há tantos anos (as insónias e o hé pá não consigo dormir, deixa-me mazé pensar no rabo da Cláudia) e não consegui esconder a minha alegria: Cláudia, que surpresa, Ela Queres tomar café, dIAZ?, Eu Mas claro que sim, à falta de uma casa-de-banho de deficientes com todos aqueles ferros para nos agarrarmos em mil e uma acrobacias.
Há, contudo, um pormenor. Eu revi-a, depois de tantos anos, DE FRENTE! Disse-lhe: Estás igual. Mas, no café, ela ergueu-se dizendo-me: Tenho que fazer um cocó. E virou-O para mim! No regresso, disse-lhe: Estás tão diferente. E estava. Um rabo muito mais pequeno, uma amostra do que foi outrora, um rabinho triste, taciturno, cabisbaixo. Olhou-me profundamente, perscrutou-me a alma e sussurrou: Há pouco estava igual e agora estou tão diferente, uma espécie de impasse, até perguntar: Isso é porque fui cagar?

10 comentários:

nipponlady disse...

Simplesmente fabuloso!
Viva aos homens atentos...
e Viva a Claúdia q conseguiu a proeza de ver a sua rectaguarda diminuir com o tempo! Há "gajas" com sorte!!!
eheheheh

1entre1000's disse...

OH pa... porra! estes "my little beautiful life"'s sempre a subirem na minha estima e consideração!!!!
pois que me custa a assumir (esta minha mania de me ocultar atras de um lady veu, irrita-me as viceras) MAS (e no mas reside a importancia) quando encontro alguem... é quase instintivo verificar o rabo... qdo o encontro é de frente e depois me ,despeço e tal. não são poucas as vezes q penso... bolas ele até tinha um rabo porreirito mas agora olhar pra trás para analisar dá mau aspecto...
(ufa afinal até sou normal, nestas coisadas!)

zez disse...

Ainda no outro dia, vi um rabinho que conheci há uns tempinhos e pensei: "tu queres ver que é ela?". Mas não era! Foi das poucas vezes que me enganei!

Nisto estamos de acordo, amigo Diaz!

Zorze disse...

Rabos e mamaas, mamas e rabos... nhumieeeeeeeeeee! Tão bom, caralho!!!

espalha brasas disse...

Por acaso, reconheço muitas pessoas de costas, sem olhar necessariamente para o rabo. E quando é uma gaja a reconhecer outra pelo rabo, sem que isso signifique ser lésbica?

El Mariachi disse...

Significa que se está, pelo menos, no bom caminho!

espalha brasas disse...

No way!!

zez disse...

"FILMEM, FOTOGRAFEM, PERPETUEM ISSO EM TODOS OS FORMATOS IMAGINÁRIOS...!!!!!"

alguém se lembra desta private joke da Ego/Ana + Atrevida ou sou só eu que estou maluquinho???

El Mariachi disse...

Sim, há quem se lembre dessa joke...

...o que não invalida que a tua sanidade mental já tenha visto melhores dias, meu doidivanas!

zez disse...

De facto, não invalida... "duas colheres nessa tua x.x.ta!!!" ehehehehhe

A Rijota lembrava-me ontem o ritual das manhãs na Ego: a matança da fruta! Uma inocente peça de fruta vagueava entre um teclado e um monitor iMac, quando de repente era abordada por uma faca de dentes afiados... porra, vou já "postar" sobre isto!