quinta-feira, janeiro 07, 2010

Exercício dos Diversos Falarejares Lusos OU Hoje Apetece-me Gabar os Meus Amigos

António Carlos Pinto Parreira é gerondo. Mas, longe de ser amigo de tabaco, como diria Leão, sobrinho de Cavalinho das Éguas, é do pêto. Da casa. Gosto. Mêmo. Lembrê-me dele na mais que ontem nem menos que amanhã, até porque o magano na me desampara a loja mesmo em querendo. Amigo, poje. E onté, ao invés d'ir a ganhar o soldo, folgou para ir à da mãe. Suponho que, sabendo-o, Ti Olga tenha fêto, cumó costume, uma sopinha de cação e um franguinho corado. Talvez não, porque, em Janeiro, o cação é amargoso. Sopinha da panela, atão. E, já estou a veri, à recusa de repetir 3.ª vez, a mulher com mais pêlo na venta que conheci largou um Aaaahhhhh na qués lá ver se t'orieeeeentas, meio a cantar, mas não tanto como os libatos, ou calipolenses, para quem na sabe, cumó maricas do Portas.
Frederico Almeida, beirão de Ranhadoj, ali prójláds de Foz Côa, menino proporcionalmente generojo e humilde, o clássico Boum Home de que não se ouve falar dejde o período clássico da literatura, fez panelinha com o outro e, sem que os belgas saibam, não lhe cortará a féria pela ausência. Até porque tal falta num é porque tá boum pa ir ó rio ou vendimar o morangueiro. É coijas lá da terra dele, poijatão...
Parrêra canta, com Janita, Festas, Domingos e outros tantos, no Grupo dos Cantadores do Redondo. Encontro na de Zezinho, qu'é Plátano, no Largo do Tribunal, onde ainda deve arder o madêro, mini aqui, branquinho ali, tinto ali aléim, quêjinho cortado à navalhinha, panito qué do melhor que há pá Serra d'Ossa e daí se segue: São chegados os trê rêis e coiso e tal, má ô méns como no Sul, talvez o Maior Disco Português de Final do Século passado. Poucos conhecem. Pior! Desde q'o conheço que na falta aos Reis, ou as Janêras, ou lá o que é isso maizáquela segunda-fêra a seguir à Páscoa em que vai tudo acampári...
Entretanto, Maria João Matos e Gonçalo Santos, Bairro da Madredeus uma, do Chile o outro, esperam, assim, coiso, prontsh, pela chegada do mnín. Ódespois agente shpéra qué pa vê s'êlsh, tip', aparécem mais vêzsh, ó camândru! Já cu sacana do puto não quis meter os bútsh cá fora, típ, no dia 3 de Janeiro cuméra o cum gáij q'ria!
Marco Santos e Patrícia Grancho, Bombarral olé olé, estão arredadôs dos assuntôs das estufás de pêra rochá mandadás abaixô pelo temporélle, majeeeeee aguardam maij pela chegadá da proxaine dáte de ida a Paris une autre fois do que pelo retornô de Marcô ao seu lieu de travaille. Especialmente o Marcô, hã?
Marlene, que não se deixa ver, ó c......o, é que ninguém sabe onde anda mais à p.....a que pariu esta m...a toda, f.....-se! Como se o Barreiro fosse em Santa C.....a dos Assobios e um gajo ainda tivesse que pagar não sei quanto na p....a da auto-estrada maizó c......o do IC23, ó qué qué aquela m....a pá ir buscar, ó c......o!
Claudette Soares não se lhe aplica assim muito que se possa dizer, a não ser referir que isto está a ser escrito com um sorriso de mostrar os 36 dentes e, ao fim, remata-se com um Óóóóó! Que Q'riiiiido!

E era isto. Um 2010 com todos eles, desejo-o para mim. Porque os estranhos amores também o são. E laços que não se quebram, daqueles que vêm com qualidades e defeitos, boas e más disposições, full extras mas, ainda assim, se desejam (como o Zé Tunning que compra um Tigra e não lhe tira o Ailleron porque até fica giro), não é para todos. É para nós. E eles, todos eles, sabem-no bem! E gostam. É o que me vale! Às vezes... Que nunca serão tantas como as que desejaria!

5 comentários:

pacheco disse...

obrigado amigo.
bom ano para ti também, para a Marta e vosso querido rebento com nome do santo que dizem ser o verdadeiro pai de Emanuel, o Jesus.

Armand Blanchard disse...

estou a tremer e as lágrimas inundam-me o pêto.

és um amor (apesar de estar prestes a pagar direitos de autor ao "Texugo" pela frase "Óóóóó! Que Q'riiiiido!"

deveras bonito da tua parte...
acho mesmo que só te poderia agradecer por esta "lamechice agradável" se fossemos amanhã beber um copo ao fim da tarde...

bêjos

Marco disse...

Então não é que fiquei comovido!
O dIAZ afinal até é "boum home", dispensa um pouco da sua escrita fina aos "amigos do pêto".
Um bom ano para vós também, e saúdinha da boa como diz um grande amigo nosso.
Directamente do oeste,um ciclone de abraços e beijos.
Sabinão

MariJuanita disse...

Entao e que direi eu, com a gravidez ainda mais maluca do que costume... Bonito. Vai ja para o FB ;-)
BJS

Fredy Adu/Guarin/Cruger/Mercury disse...

Bom Ano Nuno! És Altamente pá!



Nota: Estou a candidatar-me ao NickName mais parvo da historia da Blogosfera.